Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube
Centro de Astrofísica da Universidade do Porto
Fundamental Properties of M Dwarf Stars and Their Many Exoplanets

Philip S. Muirhead
Department of Astronomy, Boston University

Resumo
M dwarf stars present many advantages for the detection and characterization of rocky and temperate exoplanets; however, the stars themselves present many challenges to observers trying to measure fundamental properties such as mass, radius and metallicity. At BU, we recently began a comprehensive program to characterize M dwarf properties using multi-wavelength observations of eclipsing binary stars, high-resolution near-infrared spectroscopy, and state-of-the-art atmosphere simulations. I will present results from our research group that suggest many eclipsing binary M dwarfs in the literature have erroneous mass and radius determinations. I will also present results that suggest the carbon-to-oxygen ratio in M dwarf stars regulates metallicity indicators in M dwarf spectra, rather than the overall metallicity itself. The results have significant implications for detailed studies of M dwarf planets in the Gaia, TESS, and JWST era.

10 março 2016, 13:30

Centro de Astrofísica
Rua das Estrelas
4150-762 Porto

Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço

O Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço é (IA) é uma nova, mas muito aguardada, estrutura de investigação com uma dimensão nacional. Ele concretiza uma visão ousada, mas realizável para o desenvolvimento da Astronomia, Astrofísica e Ciências Espaciais em Portugal, aproveitando ao máximo e realizando plenamente o potencial criado pela participação nacional na Agência Espacial Europeia (ESA) e no Observatório Europeu do Sul (ESO). O IA é o resultado da fusão entre as duas unidades de investigação mais proeminentes no campo em Portugal: o Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP) e o Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa (CAAUL). Atualmente, engloba mais de dois terços de todos os investigadores ativos em Ciências Espaciais em Portugal, e é responsável por uma fração ainda maior da produtividade nacional em revistas internacionais ISI na área de Ciências Espaciais. Esta é a área científica com maior fator de impacto relativo (1,65 vezes acima da média internacional) e o campo com o maior número médio de citações por artigo para Portugal.

Continuar no sítio do CAUP|Seguir para o sítio do IA