Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube
Centro de Astrofísica da Universidade do Porto
The Lyman alpha cosmic line

Daniel Kunth
Institut d'Astrophysique de Paris

Resumo
The Lyman alpha is a cosmic recombination line in the sense that it occurs from the most atomic abundant element of the universe hence is potentially very bright. Therefore it allows the discovery and study of distant galaxies at redshift as large a 8 and potentially 10.
However its transfer in the ISM is complex due to the resonant nature of this line that interplays with the dust, the HI and is affected by the many parameters of the star formation event and that of the host galaxy. Our studies of local galaxies, performed with the HST, show this complexity. One of the major results of our HST imaging studies has been to reveal large extended Lyman alpha haloes much larger than that of H alpha, confirming the role of resonant scattering processes in the transfer of the Lyman photons. These studies have allowed us to consider the evolution of the Lyman alpha escape as a function of the cosmic time. We find evolution. We also ask the question whether dwarf galaxies are able to re-ionize the Universe at z around 6.

17 maio 2013, 13:30

Centro de Astrofísica
Rua das Estrelas
4150-762 Porto

Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço

O Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço é (IA) é uma nova, mas muito aguardada, estrutura de investigação com uma dimensão nacional. Ele concretiza uma visão ousada, mas realizável para o desenvolvimento da Astronomia, Astrofísica e Ciências Espaciais em Portugal, aproveitando ao máximo e realizando plenamente o potencial criado pela participação nacional na Agência Espacial Europeia (ESA) e no Observatório Europeu do Sul (ESO). O IA é o resultado da fusão entre as duas unidades de investigação mais proeminentes no campo em Portugal: o Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP) e o Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa (CAAUL). Atualmente, engloba mais de dois terços de todos os investigadores ativos em Ciências Espaciais em Portugal, e é responsável por uma fração ainda maior da produtividade nacional em revistas internacionais ISI na área de Ciências Espaciais. Esta é a área científica com maior fator de impacto relativo (1,65 vezes acima da média internacional) e o campo com o maior número médio de citações por artigo para Portugal.

Continuar no sítio do CAUP|Seguir para o sítio do IA