Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube
Centro de Astrofísica da Universidade do Porto

Spot cycle reconstruction: an empirical tool. Application to the sunspot cycle

A. R. G. Santos, M. S. Cunha, P. P. Avelino, T. L. Campante

Resumo
Context. The increasing interest in understanding stellar magnetic activity cycles is a strong motivation for the development of parameterized starspot models which can be constrained observationally.
Aims.
In this work we develop an empirical tool for the stochastic reconstruction of sunspot cycles, using the average solar properties as a reference.
Methods.
The synthetic sunspot cycle is compared with the sunspot data extracted from the National Geophysical Data Center, in particular using the Kolmogorov-Smirnov test. This tool yields synthetic spot group records, including date, area, latitude, longitude, rotation rate of the solar surface at the group’s latitude, and an identification number.
Results.
Comparison of the stochastic reconstructions with the daily sunspot records confirms that our empirical model is able to successfully reproduce the main properties of the solar sunspot cycle. As a by-product of this work, we show that the Gnevyshev-Waldmeier rule, which describes the spots’ area-lifetime relation, is not adequate for small groups and we propose an effective correction to that relation which leads to a closer agreement between the synthetic sunspot cycle and the observations.

Palavras chave
Sun: activity, Sun: oscillations, stars: activity, stars: oscillations, sunspots, starspots

Astronomy and Astrophysics
Volume 580, Página A62
agosto 2015

>> ADS>> DOI

Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço

O Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço é (IA) é uma nova, mas muito aguardada, estrutura de investigação com uma dimensão nacional. Ele concretiza uma visão ousada, mas realizável para o desenvolvimento da Astronomia, Astrofísica e Ciências Espaciais em Portugal, aproveitando ao máximo e realizando plenamente o potencial criado pela participação nacional na Agência Espacial Europeia (ESA) e no Observatório Europeu do Sul (ESO). O IA é o resultado da fusão entre as duas unidades de investigação mais proeminentes no campo em Portugal: o Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP) e o Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa (CAAUL). Atualmente, engloba mais de dois terços de todos os investigadores ativos em Ciências Espaciais em Portugal, e é responsável por uma fração ainda maior da produtividade nacional em revistas internacionais ISI na área de Ciências Espaciais. Esta é a área científica com maior fator de impacto relativo (1,65 vezes acima da média internacional) e o campo com o maior número médio de citações por artigo para Portugal.

Continuar no sítio do CAUP|Seguir para o sítio do IA