Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube Siga-nos no Google+

Is LkHα 264 like a young, extremely active Sun?

V.M. Costa, J. F. Gameiro, M. T. V. T. Lago

Resumo
We combine calibrated International Ultraviolet Explorer (IUE) archive data and new low-resolution optical data for the T Tauri star LkHα 264 covering the region from 1200 to 7000Å. The UV continuum is well fitted by the combination of a blackbody at 4300K plus hydrogenic free-free and free-bound emission from a dense plasma at 3.5x104K plus the emission by a second blackbody. This last component is at T~8700K and covers about 4per cent of the stellar surface. We interpret this last component to be the result of emission from one or various hotspots. The interesting result is that this combined emission also fits the observed optical continuum well. We conclude that this star is an analogue of the Sun, however displaying a much higher level of activity.

Monthly Notices of the Royal Astronomical Society
Volume 307, Página L23
agosto 1999

>> PDF>> ADS

Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço

O Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço é (IA) é uma nova, mas muito aguardada, estrutura de investigação com uma dimensão nacional. Ele concretiza uma visão ousada, mas realizável para o desenvolvimento da Astronomia, Astrofísica e Ciências Espaciais em Portugal, aproveitando ao máximo e realizando plenamente o potencial criado pela participação nacional na Agência Espacial Europeia (ESA) e no Observatório Europeu do Sul (ESO). O IA é o resultado da fusão entre as duas unidades de investigação mais proeminentes no campo em Portugal: o Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP) e o Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa (CAAUL). Atualmente, engloba mais de dois terços de todos os investigadores ativos em Ciências Espaciais em Portugal, e é responsável por uma fração ainda maior da produtividade nacional em revistas internacionais ISI na área de Ciências Espaciais. Esta é a área científica com maior fator de impacto relativo (1,65 vezes acima da média internacional) e o campo com o maior número médio de citações por artigo para Portugal.

Continuar no sítio do CAUP|Seguir para o sítio do IA