Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube Siga-nos no Google+
Centro de Astrofísica da Universidade do Porto

RemoveYoung: A tool for the removal of the young stellar component in galaxies within an adjustable age cutoff

J. M. Gomes, P. Papaderos

Resumo
The optical morphology of galaxies holds the cumulative record of their assembly history, and techniques for its quantitative characterization offer a promising avenue toward understanding galaxy formation and evolution. However, the morphology of star-forming galaxies is generally dictated by the youngest stellar component, which can readily overshine faint structural/morphological features in the older underlying stellar background (e.g., relics from recent minor mergers) that could hold important insights into the galaxy build-up process. Stripping off galaxy images from the emission from stellar populations younger than an adjustable age cutoff tcut can therefore provide a valuable tool in extragalactic research. RemoveYoung (), a publicly available tool that is presented here, exploits the combined power of integral field spectroscopy (IFS) and spectral population synthesis (SPS) toward this goal. Two-dimensional (2D) post-processing of SPS models to IFS data cubes with permits computation of the spectral energy, surface brightness, and stellar surface density distribution of stellar populations older than a user-defined tcut. This suggests a variety of applications of star-forming galaxies, such as interacting or merging galaxy pairs and lower mass starburst galaxies near and far; these include blue compact and tidal dwarf galaxies.

Astronomy and Astrophysics
Volume 594
outubro 2016

>> PDF>> ADS>> DOI

Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço

O Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço é (IA) é uma nova, mas muito aguardada, estrutura de investigação com uma dimensão nacional. Ele concretiza uma visão ousada, mas realizável para o desenvolvimento da Astronomia, Astrofísica e Ciências Espaciais em Portugal, aproveitando ao máximo e realizando plenamente o potencial criado pela participação nacional na Agência Espacial Europeia (ESA) e no Observatório Europeu do Sul (ESO). O IA é o resultado da fusão entre as duas unidades de investigação mais proeminentes no campo em Portugal: o Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP) e o Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa (CAAUL). Atualmente, engloba mais de dois terços de todos os investigadores ativos em Ciências Espaciais em Portugal, e é responsável por uma fração ainda maior da produtividade nacional em revistas internacionais ISI na área de Ciências Espaciais. Esta é a área científica com maior fator de impacto relativo (1,65 vezes acima da média internacional) e o campo com o maior número médio de citações por artigo para Portugal.

Continuar no sítio do CAUP|Seguir para o sítio do IA