Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube Siga-nos no Google+

Em busca de uma melhor compreensão da física e oscilações das estrelas peculiares de tipo A (Ap)

FCT/CNRS: PICS 2014

Investigador responsável
Margarida S. Cunha

O objetivo do projeto é combinar interferometria e asterossismologia para derivar o raio, temperatura efetiva e massa de estrelas Ap com grande precisão, com vista a testar modelos teóricos de excitação. Este método, já aplicado pela equipa a 4 estrelas (6 publicações conjuntas), será aplicado a mais 15-20 estrelas. Os resultados permitir-nos-ão entender a discrepância que existe entre a temperatura efetiva destas estrelas deriva com base em interferometria e com base em espectroscopia, bem como determinar uma nova calibração para a temperatura, menos dependente de modelos. Para todas as estrelas será feita uma análise de estabilidade. A comparação das frequências previstas com as frequências observadas permitirá restringir os modelos de excitação. As estrelas mais promissoras, para as quais oscilações não tenham ainda sido detetadas, serão alvo de futuras campanhas de observação. O projeto PICS irá fortalecer mais esta promissora colaboração entre a França e Portugal.

Portuguese Node: CAUP
Co-PI: Margarida Cunha

French Node: IPAG
Co-PI: Karine Perraut

Instituição financiadora
Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Início: 1 janeiro 2015
Fim: 31 dezembro 2017


Fundação para a Ciência e Tecnologia

Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço

O Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço é (IA) é uma nova, mas muito aguardada, estrutura de investigação com uma dimensão nacional. Ele concretiza uma visão ousada, mas realizável para o desenvolvimento da Astronomia, Astrofísica e Ciências Espaciais em Portugal, aproveitando ao máximo e realizando plenamente o potencial criado pela participação nacional na Agência Espacial Europeia (ESA) e no Observatório Europeu do Sul (ESO). O IA é o resultado da fusão entre as duas unidades de investigação mais proeminentes no campo em Portugal: o Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP) e o Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa (CAAUL). Atualmente, engloba mais de dois terços de todos os investigadores ativos em Ciências Espaciais em Portugal, e é responsável por uma fração ainda maior da produtividade nacional em revistas internacionais ISI na área de Ciências Espaciais. Esta é a área científica com maior fator de impacto relativo (1,65 vezes acima da média internacional) e o campo com o maior número médio de citações por artigo para Portugal.

Continuar no sítio do CAUP|Seguir para o sítio do IA