Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube Siga-nos no Google+

Rede de Doutoramento em Ciências do Espaço (PhD::SPACE)

PD/00040/2012

Diretor do programa
Mário J. P. F. G. Monteiro

A rede PhD::SPACE oferece a oportunidade para formação avançada da próxima geração de astrónomos, através de uma abordagem verdadeiramente internacional. Este programa é organizado para apoiar uma estratégia clara de internacionalização, com foco nos grandes projetos internacionais em ciências e tecnologias do espaço, incluindo as técnicas e metodologias que suportam o desenvolvimento e exploração científica dessas infraestruturas a que Portugal tem acesso. Para que Portugal possa beneficiar do investimento feito na participação em organizações internacionais, como o ESO e a ESA, esta visão estratégica será implementada também em estreita colaboração com a industria e apoiada em colaborações internacionais com instituições de referencia na Europa.

Os projetos em Astronomia em funcionamento ou em desenvolvimento no Observatório Europeu do Sul (ESO), de que Portugal é membro, abrangem áreas quase inexploradas pela ciência, como no sub-milimetrico com o Atacama Large Millimeter Array (ALMA) ou a procura de exoplanetas com o ESPRESSO. Além disso, as missões atuais e em preparação da Agencia Espacial Europeia (ESA, de que Portugal também e membro), nomeadamente Venus Express, Herschel, Planck, Gaia, Solar Orbiter, Euclide, JUICE e o JWST), vem reforçar ainda mais os desafios e a visibilidade da Astronomia.

Novos domínios estarão abertos à observação. Em paralelo, ferramentas inovadoras de diagnostico e técnicas estão a ser integradas, bem como novas formas de acesso e de operação das instalações/infraestruturas. Os grandes telescópios em operação e os que estão em construção ou a ser projetados, tais como o E-ELT, grandes maquinas de coletar dados, necessitam de tecnologias inovadoras (óptica adaptativa, por exemplo), sistemas complexos e novas técnicas para a manipulação de dados, processamento e analise, bem como novas atitudes na forma como se acedem aos dados. O "Virtual Observatory", construído usando varias bases de dados, com observações obtidas a partir do solo e do espaço, também vem adicionar novos desafios e oportunidades. Consequentemente, o papel das Ciências Espaciais, como um espaço privilegiado de formação multidisciplinar, recorrendo a vários campos da ciência e da tecnologia, torna-se óbvio. Além disso, permite expor e integrar os jovens investigadores, desde o inicio da sua formação, em colaboração internacional e na participação em equipas multinacionais.

O objetivo principal do PhD::SPACE é treinar futuros astrónomos de forma a preparar uma nova geração de investigadores capazes de trabalhar em ciências do espaço e em projetos de tecnologia de ponta nesta área, cumprindo as metas estabelecidas pela agenda da Comissão Europeia para o espaço na próxima década (Horizon2020). Devido à componente cada vez mais tecnológica dos projetos de astronomia recentes, o PhD:SPACE também visa atrair estudantes com um background diversificado, ou seja, com formação em tecnologia e engenharia, sistemas e controle, ou de informática, entre outras áreas. A astronomia oferece oportunidades únicas e desafiantes para a formação avançada e oferece perspectivas atraentes para uma carreira de sucesso no nas ciências e tecnologias do espaço.

Durante o programa, e além da formação formal em Astronomia, será dada atenção especial ao desenvolvimento de competências especiais/complementares que reforcem a empregabilidade dos doutorados. Estas competências irão capacitar os alunos para resolver problemas complexos, sem uma solução única, ou enfrentar novas situações ou contextos mais alargados que necessitam de uma abordagem multidisciplinar. Há efetivamente uma estreita interdependência entre o uso de dados observacionais, a instrumentação que os gere, a matemática e as técnicas de modelação, o processamento de dados e a sua analise, a interpretação teórica e a confrontação entre observações e teorias. O objetivo deste programa é assim proporcionar formação efetiva que sustente a capacidade no doutorado para lidar com questões complexas, procurando soluções e levando a decisões em situações em que a informação é limitada ou incompleta, incluindo a necessidade de avaliar criticamente a adequação e qualidade dos resultados.

A formação dada aos alunos irá prepara-los para uma carreira ao longo da vida, numa ampla gama de profissões/ocupações, tais como investigadores/professores em instituições académicas, líderes e gestores de equipes de investigação em organizações nacionais ou internacionais ativas nas ciências e tecnologias do espaço, especialistas de analise de dados e planeamento de instrumentação em empresas privadas, especialistas para apoio a empresas na industria espacial, em agencias governamentais, como gestores de empresas de alta tecnologia, especialistas de divulgação científica, etc.

A rede PhD:SPACE terá um papel fundamental em assegurar um retorno científico e tecnológico efetivo do investimento Português feito através da organizações internacionais como o ESO e a ESA.

Instituições envolvidas no projecto:

- Universidade do Porto (UP)
- Universidade de Lisboa (UL)
- Centro de Astrofísica (CAUP/UP)
- Centro de Astronomia e Astrofísica (CAA/FC/UL)

Instituição financiadora
Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Início: 1 outubro 2013
Fim: 31 dezembro 2020

>> Ver site do projecto


Fundação para a Ciência e Tecnologia

Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço

O Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço é (IA) é uma nova, mas muito aguardada, estrutura de investigação com uma dimensão nacional. Ele concretiza uma visão ousada, mas realizável para o desenvolvimento da Astronomia, Astrofísica e Ciências Espaciais em Portugal, aproveitando ao máximo e realizando plenamente o potencial criado pela participação nacional na Agência Espacial Europeia (ESA) e no Observatório Europeu do Sul (ESO). O IA é o resultado da fusão entre as duas unidades de investigação mais proeminentes no campo em Portugal: o Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP) e o Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa (CAAUL). Atualmente, engloba mais de dois terços de todos os investigadores ativos em Ciências Espaciais em Portugal, e é responsável por uma fração ainda maior da produtividade nacional em revistas internacionais ISI na área de Ciências Espaciais. Esta é a área científica com maior fator de impacto relativo (1,65 vezes acima da média internacional) e o campo com o maior número médio de citações por artigo para Portugal.

Continuar no sítio do CAUP|Seguir para o sítio do IA