Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube Siga-nos no Google+
Origin and Evolution of Stars and Planets

Stellar Interiors and Atmospheres
Task leader: M. J. P. F. G. Monteiro

One important goal of the team is to understand the details of the structure and evolution of stars of low and intermediate masses. To pursue this goal, the team explores a technique known as Asteroseismology, which is based on the study of stellar oscillations. These activities are supported by the team's participation in the French-led mission CoRoT, launched in December 2006, in the Kepler Asteroseismic Science Consortium for the NASA mission, Kepler, launched in March 2009, and the participation in a consortium for the ESA mission PLATO, currently under study.
Simultaneously, the team dedicates part of its efforts to the determination of the global properties of stars, through the analysis of spectroscopic and interferometric data, mostly obtained from ESO telescopes. This component of the research is strengthen by the team's participation in the data processing and analysis Consortium (DPAC), established under the preparation of the GAIA mission (ESA).
Finally, the team studies the chemical composition, magnetism, rotation and chromospheric activity of field and cluster stars, by means of high-resolution spectroscopy and spectropolarimetry, which are key to stellar modelling and dating of stars. Isotopic and elemental abundances in different populations (disk, halo, bulge) using 8-10 m telescopes (ESO, Keck, Gemini), constrain Big Bang nucleosynthesis and the evolution of our Galaxy.



The activities of the team are supported by the following funding projects:

Recent scientific highlights of the team:

Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço

O Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço é (IA) é uma nova, mas muito aguardada, estrutura de investigação com uma dimensão nacional. Ele concretiza uma visão ousada, mas realizável para o desenvolvimento da Astronomia, Astrofísica e Ciências Espaciais em Portugal, aproveitando ao máximo e realizando plenamente o potencial criado pela participação nacional na Agência Espacial Europeia (ESA) e no Observatório Europeu do Sul (ESO). O IA é o resultado da fusão entre as duas unidades de investigação mais proeminentes no campo em Portugal: o Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP) e o Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa (CAAUL). Atualmente, engloba mais de dois terços de todos os investigadores ativos em Ciências Espaciais em Portugal, e é responsável por uma fração ainda maior da produtividade nacional em revistas internacionais ISI na área de Ciências Espaciais. Esta é a área científica com maior fator de impacto relativo (1,65 vezes acima da média internacional) e o campo com o maior número médio de citações por artigo para Portugal.

Continuar no sítio do CAUP|Seguir para o sítio do IA