Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube Siga-nos no Google+
21 agosto 2006

No passado dia 31 de Julho apareceu na superfície do Sol uma pequenina mancha solar. Ela surgiu vinda do interior do Sol e, em poucas horas, desapareceu. Este tipo de acontecimentos ocorrem com regularidade no Sol, sem serem relevantes de notícia, mas esta mancha solar foi especial: era invertida.

"Há algum tempo que estávamos à espera disto", afirmou David Hathaway, físico solar no Centro Espacial Marshall em Huntsville, Alabama (EUA)."Uma mancha solar invertida é sinal de que o próximo ciclo solar está a começar."

Invertida significa na verdade magneticamente invertida. As manchas solares são ímans que têm origem no dínamo magnético que existe no interior do Sol. Como todos os ímans do Universo, as manchas solares têm pólos magnéticos: um norte (N) e um sul (S). A mancha solar de 31 de Julho surgiu a uma longitude de 65ºW e 13ºS de latitude, numa região onde as manchas solares estão normalmente orientadas no sentido N-S, ou seja, a região da frente da mancha tem polaridade S, enquanto que a região posterior tem polaridade N. No entanto, esta mancha em particular tinha uma orientação invertida de S-N

O Sol tem um ciclo de actividade de 11 anos. De 11 em 11 anos a nossa estrela tem picos de actividade. "Estamos a chegar ao fim do Ciclo Solar 23, que teve o seu pico em 2001", explica Hathaway. O ciclo que se segue, o Ciclo 24 deve ter início em breve. Os cientistas aguardam com expectativa este próximo ciclo de actividade, pois há previsões que apontam para que este seja um dos mais activos das últimas décadas. Manchas e flares solares regressarão em abundância, dando origem a brilhante auroras na Terra e a perigosas tempestades de protões no espaço.

Mas, quando terá início o Ciclo 24? Bem, a primeira mancha solar de um novo ciclo é sempre invertida. Há muito que os físicos solares sabem que os campos magnéticos das manchas invertem a polaridade de ciclo para ciclo: N-S torna-se S-N e vice-versa. "Assim, esta mancha invertida, poderá ser a primeira mancha do Ciclo 24."

No entanto, ainda não há certezas " em primeiro lugar é preciso ter em conta que esta mancha durou apenas cerca de 3 horas. Tipicamente, as manchas solares duram dias, semanas ou mesmo meses em alguns casos. Três horas é muito pouco tempo, de tal forma que esta mancha não teve direito a ser catalogada com um número, pois os astrónomos que habitualmente actualizam este catálogo não a consideraram relevante. É também importante notar que a latitude a que esta mancha surgiu é algo estranha, pois as manchas solares de um novo ciclo surgem a latitudes médias, próximo dos 30ºN ou 30ºS. Esta mancha surgiu a uma latitude de 13ºS.

Mesmo que o Ciclo 24 tenha realmente começado agora, só daqui a 5-6 anos atingirá o pico. Durante algum tempo - cerca de 1 ou 2 anos - os Ciclos 23 e 24 irão conviver no Sol, tornando-o um "caldeirão" de manchas invertidas e não-invertidas. Actualmente no hemisfério Norte do Sol todas as manchas têm uma polaridade S-N, enquanto quer no hemisfério Sul todas são N-S. Há 10 anos que é assim, desde o início do Ciclo 23. Quando o Ciclo 24 se estabelecer como dominante o padrão magnético será diferente: no Norte as manchas terão uma polaridade N-S, enquanto que no Sul terão uma polaridade S-N.

Para mais informações
http://science.nasa.gov/headlines/y2006/15aug_backwards.htm

1. A mancha solar que surgiu no Sol. (©SoHO)
2. Pólos magnéticos das manchas. (©NASA)
3. Magnetograma do Sol. (©SoHO)
4. Os Ciclos solares do passado e do futuro. (©NASA)