Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube Siga-nos no Google+
11 outubro 2005

Se por volta das 11 horas da noite olhar para Este poderá ver no céu um objecto com um brilho invulgar. O que estará a ver é o planeta Marte que, depois da Lua, será o ponto mais brilhante no céu da meia noite.

Entre o final do mês de Setembro e o final do mês de Outubro Marte duplicará o seu brilho no céu. O que está por detrás deste aumento de brilho é a actual proximidade entre o nosso planeta e o planeta vermelho. A aproximação entre a Terra e Marte será máxima a 30 de Outubro às 03:19 TU (Tempo Universal), altura em que a distância entre os dois planetas será de 69 milhões de quilómetros. Uma aproximação semelhante só terá lugar daqui a 13 anos, em 2018.

Em 2003 durante a última convergência entre a Terra e Marte, o planeta vermelho aparecia muito brilhante no céu mas não muito alto. Nos céus da Europa e da América do Norte Marte não passou dos 34º acima do horizonte. Este ano Marte poderá ser visto muito mais alto no céu, a cerca de 66º acima da linha do horizonte. Isto é uma boa notícia para todos os ávidos observadores do céu nocturno.

E o que é que agora se está a passar em Marte? Está a chegar o Inverno ao Pólo Norte marciano e começam a instalar-se nesta região grandes aglomerados de nuvens de gelo azuladas. Estes conjuntos de nuvens poderão ser facilmente observados com um telescópio de 10 polegadas.

As ocasiões de aproximação entre a Terra e Marte são normalmente aproveitadas pelas agências espaciais para o lançamento de missões interplanetárias. A NASA lancou em Agosto a sonda Mars Reconnaissance Orbiter, que chegará a Marte em Março de 2006. A bordo segue a maior câmara alguma vez enviada a um planeta, a HiRISE (High Resolution Imaging Science Experiment) que, na Terra pesa cerca de 66 kgs, pode obter imagens com uma resolução digital de 1200 megapixels e desde a órbita de Marte poderá observar objectos na superfície com uma dimensão de uma máquina de lavar.

Informações adicionais
http://science.nasa.gov/headlines/y2005/22sep_doublemars.htm

1. Marte e as Plêiades (©Stan Richard)
2. Marte visto através de telescópio. (©Alan Friedman)
3. Podemos encontrar Marte na constelação de Touro