Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube Siga-nos no Google+
27 fevereiro 2009

Uma equipa de astrofísicos europeus, com a participação de investigadores do Centro de Astrofísica da Universidade do Porto, observou no passado dia 14 de Fevereiro, o peculiar trânsito de um planeta extra-solar com um período de 111 dias. Este é o planeta extra-solar com o período orbital mais longo no qual foi observado um trânsito até hoje, o anterior recorde era de 21 dias.

O planeta em causa foi descoberto em 2001 pela equipa do observatório de Genève (Naef.D. at al, 2001A&A...375L..27N), tem uma massa mínima de 4 vezes a massa de Júpiter e orbita uma estrela semelhante ao nosso Sol (HD 80606 ), na constelação da Ursa Maior. A estrela tem uma companheira próxima conhecida, menos brilhante, com uma separação mínima de 2000 ua (1 ua = unidade astronómica é a distância média entre a Terra e o Sol, aproximadamente 150 milhões de quilómetros). O planeta apresenta uma orbita extremamente alongada. Ao longo da sua órbita a distância do planeta à estrela varia entre 0,2 ua e 0,8 ua.

Actualmente são conhecidos mais de 340 planetas a orbitar outras estrelas, mas destes só em 50 casos foram observados trânsitos. Os trânsitos ocorrem quando o planeta passa em frente do disco da estrela, ocultando uma ínfima parte da sua radiação. Na sua grande maioria as estrelas onde foram observados trânsitos tinham planetas com períodos inferiores a 5 dias.

Os dados agora recolhidos permitem estudar em mais detalhe o planeta, mas também melhor compreender os processos que levaram à sua formação e evolução. Por exemplo, em conjunção com as medições anteriores, a detecção do trânsito permitiu determinar o raio e a densidade do planeta, e descobrir que se trata de um dos planetas mais densos até hoje descobertos. Mais ainda, as medições permitiram verificar que a órbita do planeta se encontra inclinada relativamente ao eixo de rotação da estrela. Tal descoberta dá-nos uma informação preciosa sobre o processo que terá levado o HD80606b a ficar numa orbital tão alongada.

Esquema da órbita e trânsito do planeta (© CAUP)