Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube Siga-nos no Google+
10 outubro 2006

Com a ajuda do instrumento VISIR-VLT Imager and Spectrometer for mid Infrared - que se encontra instalado no observatório VLT (ESO), um grupo de astrónomos conseguiu representar, a partir de observações, o disco de matéria que envolve uma estrela com mais massa do que o Sol. O disco agora detectado é extenso e aparenta ter muita actividade. Contém muito gás, poeira e parece ter potencial para mais tarde aqui se desenvolverem planetas.

"Os planetas formam-se em discos proto-planetários de grande dimensão, cheios de poeira e gás, que rodeiam estrelas jovens. Este processo deve ser bastante comum, pois já se detectaram mais de 200 planetas extra-solares.", afirmou Pierre-Oliver Lagage do centro de pesquisa francês CEA Saclay e líder da equipa de investigadores que coordenou as observações. "No entanto, sabemos muito pouco acerca destes discos, especialmente sobre os que rodeiam estrelas com mais massa do que o Sol. Estrelas como estas são mais luminosas e por isso poderão exercer uma grande influência sobre o disco que as envolve, podendo inclusive destruir a região mais interior do mesmo."

Os astrónomos usaram o VISIR para representar, no infravermelho, o disco que rodeia a jovem estrela HD 97048. O Sol tem 4.6 mil milhões de anos, se traduzirmos esta idade para anos "humanos", o Sol terá entre 40 a 50 anos, enquanto que a estrela HD 97048, tem apenas 3 dias de idade, ou seja ela tem apenas alguns milhões de anos. A HD 97048 pertence à nuvem escura Chameleon I, que é uma maternidade de estrelas que se encontra a 600 anos-luz de distância. Esta estrela é cerca de 40 vezes mais luminosa do que o Sol, e terá 2.5 vezes mais massa. O nível de precisão destas observações só foi capaz de ser atingido porque elas foram levadas a cabo com o VLT, cuja resolução é de 0.33 segundos de arco.

O disco agora detectado é bastante extenso é 12 vezes maior do que a órbita de Neptuno. As observações sugerem que o disco tem actividade. "É a primeira vez que uma estrutura deste tipo, prevista já por alguns modelos teóricos, é observada em volta de uma estrela de grande massa.", afirmou Lagage.

Uma geometria deste tipo só pode ser explicada se o disco for composto por uma grande quantidade de gás. No caso da HD 97048 o disco terá, pelo menos, 10 vezes a massa de Júpiter em gás e cerca de 50 vezes massas terrestres de poeira! A quantidade de poeira estimada é 1.000 vezes superior à observada em discos de matéria e estruturas semelhantes a cinturas de Kuiper que já se descobriram em volta de estrelas mais velhas, como é o caso das estrelas Beta Pictoris, Vega, Fomalhaut e HR 4796.

A poeira que rodeia estrelas velhas parece ser produzida por colisões de corpos de grande dimensão. Uma vez que a estrela HD 97048 é uma estrela jovem, o disco que a rodeia pode ser o precursor de um disco planetário, de um disco onde no futuro surgirão planetas. "Olhado para a estrutura do disco, pode ser que este contenha embriões planetários na sua região mais interior. Para perceber se isto é verdade serão levadas a cabo novas observações, de maior resolução angular, em breve com a ajuda do VLTI."

Para mais informações
http://www.eso.org/outreach/press-rel/pr-2006/pr-36-06.html

1. O disco proto-planetário que envolve a estrela HD 97048 – impressão artística. (©ESO) 2. O instrumento VISIR, instalado sob o foco Cassegrain de um dos telescópios de 8.2 metros do VLT. (©ESO)