Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube Siga-nos no Google+
12 setembro 2011

Uma equipa internacional de astrónomos, da qual faz parte Nuno Cardoso Santos (CAUP e Dep. de Física e Astronomia, Faculdade de Ciências da U.Porto), anunciou hoje a descoberta de 50 novos exoplanetas. Entre eles encontram-se 16 novas super terras, uma das quais na zona de habitabilidade da sua estrela.

O astrónomo português comentou: “Estas descobertas mostram que estamos no bom caminho. O HARPS já superou todas as expectativas e é o instrumento com mais deteções de super terras. Isto promete um futuro risonho e cheio de sucesso para o seu sucessor, o ESPRESSO”.

A descoberta só foi possível graças ao espectrógrafo HARPS (ESO, La Silla), que desde que começou a sua pesquisa, há 8 anos atrás, já detetou mais de 150 exoplanetas. Cerca de dois terços de todos os planetas com massa inferior à de Neptuno foram detetados por este instrumento.

Na conferência foi também anunciado que uma das super terras descoberta recentemente, denominada HD 85512b (ou Gliese 370b) e com cerca de 3,6 vezes a massa da Terra, estará localizada na zona de habitabilidade da estrela.

Francesco Pepe (Observatoire de Genève, Suíça), o primeiro autor de um dos artigos que deu origem a este anúncio, comentou: “Este é o planeta mais leve detetado com o método da velocidade radial, e o segundo a ser detetado pelo HARPS na zona de habitabilidade da sua estrela”.

Ao analisar a amostra de todas as 376 estrelas do tipo solar observadas pelo HARPS, a equipa elaborou uma estimativa sobre a possibilidade deste tipo de estrelas ter planetas de baixa massa. Considera-se agora que cerca de 40% das estrelas do tipo solar terão pelo menos um planeta com massa entre 3 e 100 vezes a massa da Terra, e que a maioria dos planetas com massas semelhantes ou menores que Neptuno estarão em sistemas com múltiplos planetas.

Esta descoberta foi anunciada hoje na conferência internacional Extreme Solar Systems II, a decorrer nos EUA e que reúne cerca de 350 peritos em exoplanetas, incluindo 5 investigadores da equipa do CAUP.

Notas

  • São designados por super terras todos os exoplanetas com massas compreendidas entre uma e dez vezes a massa da Terra.
  • A zona de habitabilidade é a estreita região em torno da estrela, com as condições necessárias para que possa existir água líquida à superfície de um planeta.
  • O método da velocidade radial deteta exoplanetas medindo pequenas variações na velocidade da estrela, devidas ao movimento que a órbita dos planetas imprime nessa estrela. A variação de velocidade que o movimento da Terra imprime ao Sol é de apenas 10 cm/s (cerca de 0,36 km/h).
  • A equipa é composta por M. Mayor (Observatoire de Genève - OAUG, Suiça), M. Marmier (OAUG), C. Lovis (OAUG), S. Udry (OAUG), D. Ségransan (OAUG), F. Pepe (OAUG), W. Benz (Physikalisches Institut Universität Bern, Suiça), J. L. Bertaux (Service d’Aéronomie, Paris, França), F. Bouchy (Institut d’Astrophysique de Paris, Université Pierre & Marie Curie e Observatoire de Haute-Provence/CNRS, França), X. Dumusque (OAUG), G. Lo Curto (ESO, Alemanha), C. Mordasini (Max Planck Institute for Astronomy, Alemanha), D. Queloz (OAUG). e N. C. Santos (Centro de Astrofísica e Faculdade de Ciências, Universidade do Porto, Portugal).
  • Nuno Cardoso Santos é o investigador responsável pela equipa de investigação “Origem e Evolução de Estrelas e Planetas” do CAUP. A equipa tem neste momento 21 investigadores doutorados.
  • O HARPS é um espectrógrafo de alta precisão situado no observatório do ESO em La Silla (Chile). Deteta variações de velocidade até um mínimo de 4 km/h (ou aproximadamente a velocidade de uma pessoa a caminhar).
  • O ESPRESSO (Echelle SPectrogaph for Rocky Exoplanet and Stable Spectroscopic Observations) será um espectrógrafo de alta resolução, a ser instalado no observatório VLT (ESO). Tem por objetivo procurar e detetar planetas parecidos com a Terra, capazes de suportar vida. Será capaz de detetar variações de velocidade de cerca de 0,3 km/h (ou a velocidade máxima de uma tartaruga das Galápagos a caminhar). Este espectrógrafo está a ser desenvolvido por um consórcio que envolve Portugal, Itália, Suíça e Espanha e que em Portugal é liderado pelo CAUP.

Contactos
Nuno Cardoso Santos

Núcleo de Divulgação do CAUP
Ricardo Cardoso Reis
Filipe Pires (coordenador)

Mais informação
Comunicado de imprensa ESO

1. Imagem artística de uma super terra (ESO) 2. O Astrónomo do CAUP, Nuno Cardoso Santos