Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube Siga-nos no Google+
28 julho 2011

Depois de analisar as observações efetuadas pelo telescópio da NASA WISE (Wide-Field Infrared Survey Explorer), um grupo de astrónomos descobriu o primeiro asteroide troiano que orbita o Sol na mesma órbita da Terra.

Os troianos são asteroides que partilham a órbita com um planeta, e que se localizam em pontos estáveis dessa órbita. Pontos que se situam à “frente” ou “atrás” do planeta. Porque estão sempre à frente ou atrás e na mesma órbita, estes asteroides nunca colidem com o planeta. Existem asteroides troianos em Neptuno, Marte e Júpiter. Duas das luas de Saturno partilham a órbita com troianos.

Já tinha sido previsto por cientistas a existência de asteroides troianos na Terra, mas nunca tinham sido encontrados porque são relativamente pequenos e parecem estar perto do Sol - no céu diurno -da perspetiva terrestre. “No entanto, encontramos um, porque este objeto tem uma órbita invulgar que o leva a afastar um pouco mais do Sol, do que seria de esperar, para um troiano. O WISE foi essencial para a descoberta.”, afirmou Martin Connors da Universidade Athabasca do Canada, primeiro autor do artigo onde a descoberta é descrita e que foi publicado na revista Nature de 28 de julho de 2011.

O telescópio WISE sondou, em radiação infravermelha, todo o céu - de janeiro de 2010 a fevereiro de 2011. Connors e a sua equipa iniciou a procura pelo troiano da Terra analisando os dados do NEOWISE, que é um programa de observação do WISE cujo objetivo é deteção de NEO’s. Os NEO’s são objetos que passam perto da Terra (a menos de 45 milhões de quilómetros), e podem ser asteroides ou cometas. O projeto NEOWISE observou mais de 155 000 asteroides na cintura de asteroides e mais de 500 NEO’s, 132 dos quais foram novas descobertas.

O trabalho da equipa teve como resultado a descoberta de dois candidatos a troianos. Um, designado por 2010 TK7 confirmou-se ser um troiano depois de observações adicionais efetuadas pelo Telescópio Canada-França-Hawai (Mauna Kea, Hawai, E.U.A.). O 2010 TK7 tem 300 metros de diâmetro. A sua órbita é realmente invulgar, descreve um movimento complexo perto de um ponto estável no plano da órbita da Terra, embora o asteroide também se mova acima e abaixo do plano. A órbita do asteroide é bem definida e não vai sofrer alterações -durante os próximos 100 anos estará sempre a mais de 24 milhões de quilómetros da Terra.

“A Terra está como que a jogar à apanhada.”, afirma Amy Mainzer, investigadora principal do NEOWISE do laboratório JPL (NASA). “A Terra está numa constante perseguição ao asteroide.” Esta equipa espera agora descobrir ainda outros asteroides NEO’s com a ajuda preciosa do WISE.

Para mais informações
JPL
Artigo da Nature

1. Nesta ilustração vemos o primeiro asteroide troiano da Terra. O asteroide surge a cinzento e a sua órbita irregular aparece a verde. A órbita da Terra em volta do Sol está indicada pelos pontos azuis. (Paul Wiegert, University of Western Ontario, Canada) 2.O asteroide 2010 TK7 está assinalado por um círculo verde, nesta imagem do telescópio WISE. A maior parte dos outros pontos são estrelas ou galáxias distantes. (NASA / JPL-Caltech / UCLA)