Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube Siga-nos no Google+
20 julho 2011

Com a ajuda do Telescópio Espacial Hubble (NASA/ESA), uma equipa de astrónomos descobriu uma quarta lua em torno do gelado planeta anão Plutão. O novo satélite - designado temporariamente por P4 - foi descoberto durante um levantamento que procurava anéis no planeta anão.

A nova lua é a mais pequena das até agora descobertas em Plutão. Terá um diâmetro entre 13 a 34 quilómetros. Por comparação, Caronte (a maior lua de Plutão) tem um diâmetro de 1.043 quilómetros enquanto que Nix e Hidra têm um diâmetro entre 32 a 113 quilómetros.

“É notável que as câmaras do Hubble consigam observar de forma tão nítida um objeto tão pequeno, que se encontra a mais de 5 mil milhões de quilómetros de distância”, afirmou Mark Showalter do Instituto SETI (Mountain View, Califórnia, EUA), líder do programa de observações.

Este resultado provém de trabalho que tem sido efetuado para apoiar a sonda espacial da NASA New Horizons, que está a caminho de Plutão (chegará ao planeta anão em junho de 2015). “Esta é uma descoberta fantástica”, comentou Alan Stern (Southwest Research Institute in Boulder, Colorado, EUA), investigador principal da New Horizons. “Agora que sabemos da existência de mais uma lua no sistema de Plutão, podemos planear observações dela aquando da passagem da sonda espacial”.

A lua P4 encontra-se entre as órbitas de Nix e de Hidra (descobertas pelo Hubble em 2005). Caronte foi descoberto em 1978 pelo Observatório Naval dos EUA, e foi pela primeira vez observado individualmente (separado de Plutão), em 1990, também pelo Hubble.

Pensa-se que o sistema de luas de Plutão se terá formado como consequência de uma colisão entre Plutão e um outro corpo de dimensão planetária, no início da formação do sistema solar. O choque lançou material para as redondezas, e este material deu origem às atuais luas.

Rochas lunares recolhidas pelas missões Apollo indiciam que a formação da Lua terá uma história similar - a nossa Lua será o resultado de uma colisão entre a Terra e um objeto da dimensão de Marte (que tem cerca de metade do diâmetro da Terra), há 4.4 mil milhões de anos atrás.

A lua P4 foi pela primeira vez observada numa imagem obtida com a câmara WFC3 a 28 de junho de 2011. A sua descoberta foi confirmada posteriormente em imagens obtidas a 3 e a 18 de julho. A lua só agora foi detetada porque o tempo de exposição usado pelo Hubble foi longo, algo que antes ainda não tinha sido feito.

Para mais informações
NASA Hubble
http://www.nasa.gov/mission_pages/hubble/science/pluto-moon.html
http://hubblesite.org/news/2011/23

Notícias relacionadas
AstroNotícia - Novas luas em Plutão

1. As imagens do Telescópio Espacial Hubble que permitiram a descoberta da nova lua. (NASA, ESA e M. Showalter (SETI Institute)) 2. Ilustração: O sistema de satélites de Plutão. (NASA, ESA e A. Feild (STScI))