Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube Siga-nos no Google+
3 fevereiro 2011

O satélite Kepler (NASA) detetou, a 2000 anos-luz de distância, um sistema de seis planetas à volta da estrela Kepler 11. Estes têm tamanhos que variam entre 1,97 e 4,52 vezes o da Terra (por comparação, Neptuno tem 3,88 vezes o tamanho da Terra). No entanto, é pouco provável que a constituição destes planetas seja parecida com a da Terra, já que a sua baixa densidade aponta para uma mistura de rocha, com atmosfera de hidrogénio e/ou hélio.

O que é surpreendente neste sistema é o facto de todos os planetas orbitarem praticamente no mesmo plano, e das suas órbitas serem muito compactas. Se orbitassem o Sol, cinco destes seis planetas teriam órbitas interiores à de Mercúrio, com períodos entre 10 e 47 dias.

Segundo Jack Lissauer, cientista da equipa do Kepler, “este sistema planetário é surpreendente. É extraordinariamente compacto, bastante plano e tem um número surpreendentemente grande de planetas que orbitam muito próximos da estrela – nem sabíamos que este tipo de sistemas podia existir”.

O investigador do CAUP Marco Montalto acrescenta ainda que “este sistema, com planetas tão juntos, fornece novas pistas acerca dos mecanismos de migração planetária, que se julga ocorrer na altura da formação de planetas”.

O satélite Kepler deteta planetas através do método de trânsito. Outra coisa que torna este sistema interessante é terem sido detetados 3 trânsitos simultâneos (algo inédito até hoje), já que com trânsitos múltiplos é possível determinar muito mais que os tamanhos dos planetas. Através das proporções entre períodos determinasse estabilidade e dinâmica, enquanto que as interações gravíticas fornecem dados acerca de massas e formatos das órbitas.

Esta descoberta faz parte do primeiro catálogo de observações do Kepler, divulgado ontem, que contém 1235 candidatos a planetas, 68 dos quais podem ter tamanhos semelhantes à Terra. Entre estes candidatos, 170 poderão pertencer a sistemas estelar com múltiplos planetas. Durante os próximos meses estes candidatos serão cuidadosamente estudados, para confirmar (ou não) se são mesmo planetas. Para tal o Kepler conta com a colaboração de telescópios terrestres, ou do telescópio espacial Spitzer.

Até à data, são 15 os planetas confirmados que resultam de dados do Kepler.

Notas:
O Método de Trânsito é um dos métodos de deteção de planetas extrassolares . Consiste na medição da diminuição da luz de uma estrela, provocada pela passagem do planeta à frente dessa estrela (algo semelhante a um micro-eclipse). Através de um trânsito é possível determinar o raio do planeta. Este método é complicado de usar, porque exige que o(s) planeta(s) e a estrela estejam exatamente alinhados com a linha de visão do observador.

Mais informações:
Comunicado de imprensa NASA – Kepler 11
Comunicado de imprensa NASA – Catálogo Kepler
Artigo Científico

1. Comparação entre as órbitas de Mercúrio e Vénus com a dos planetas que orbitam Kepler 11 (NASA/Tim Pyle) 2. Imagem artística que representa o trânsito de três planetas em simultâneo (NASA/Tim Pyle)