Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube Siga-nos no Google+
5 fevereiro 2010

As mais detalhadas imagens da superfície de Plutão até hoje, obtidas pelo telescópio espacial Hubble, mostram que a superfície deste planeta anão é bastante dinâmica.

Estas novas imagens foram obtidas em 2003 e foram comparadas com outras, obtidas em 1994. Desta comparação pode ver-se que Plutão não é apenas uma bola de gelo inerte, podendo notar-se que o pólo norte de Plutão ficou maior, enquanto o Sul ficou mais escuro.

As mudanças observadas são provavelmente provocadas pela sublimação do gelo na parte iluminada, voltando a congelar na parte de noite. Estas alterações sazonais devem-se à excêntrica órbita de 248 anos deste planeta anão.

As imagens só agora foram disponibilizadas porque Plutão é pequeno e está bastante longe, o que torna a sua observação extremamente difícil. Mesmo com o Hubble, as imagens originais tinham apenas alguns pixeis de diâmetro. Só através de complexas técnicas de processamento de imagem foi possível combinar várias fotos, de modo a obter uma imagem de melhor qualidade. "Foram precisos 4 anos e 20 computadores a trabalhar em contínuo para realizar esta tarefa", comentou Marc Buie, do Southwest Research Institute.

Ainda assim, as imagens só têm resolução para ver pormenores maiores que algumas centenas de quilómetros. No entanto, produzir uma imagem como esta corresponde a observar as letras impressas numa bola de futebol situada a 65 quilómetros de distância.

Estes resultados serão publicados na edição de Março do Astronomical Journal

Mais informações:
Comunicado de imprensa Hubble

1. Uma das novas imagens de Plutão (NASA/ESA/M. Buie (Southwest Research Institute)) 2. Comparação entre as imagens de 1994 e as mais recentes. (NASA/ESA/M. Buie (Southwest Research Institute))